Mini-guia: Brasil (parte I)

Se há dez anos perguntassem a qualquer pessoa neste mundo quem é Ronaldo a resposta, invariavelmente, seria: «Qual? O Gaúcho ou o Fenómeno?», ninguém lembrar-se-ia de um tal Cristiano..

Estes foram os dois últimos grandes futebolistas Brasileiros. Claro, hoje, Neymar esforça-se por se afirmar como a maior figura dos canarinos e todo o país acredita que sim, ele pode levar o país até à Copa, logo esta, jogada em casa, de outra maneira não pode ser; se Deus quiser. Claro que os favoritos nunca ganham o Mundial e Neymar não é Ronaldo (nem sequer Cristiano) mas o futebol é feito de surpresas e.. Calma aí, um momento, afinal o que é que isto tudo tem que ver com medicina? Nada: mas quem quiser fazer a especialidade no Brasil vai ter que aprender por si tudo o que há para saber sobre bola; no resto a FRONTAL dá uma ajudinha.

No que toca a especialidade, apelidado pelos nossos irmãos de Residência Médica, o Brasil é um dos países mais atractivos para jovens médicos desejosos de a realizar no estrangeiro. Simultaneamente, porém, é também um dos destinos que maior receio cria na mente dos candidatos: alguns indicam o processo como sendo extremamente burocrático; outros não resistem às provas necessárias para a validação do título de Mestrado Integrado; todos afirmam ser um caminho difícil mas que no fim «vale a pena» (e desde quando é que a FRONTAL fez artigos sobre especialidades médicas no estrangeiro de fácil acesso e que no fim não valem a pena?).

O Cristo-redentor e o Rio de Janeiro

O passo fundamental na estrada rumo ao exercício de Medicina no Brasil é a equivalência ou revalidação do Diploma do Mestrado de Integrado. Sim, ao contrário do que se passa na europa, esta não é automática, pormenor que cria invariavelmente as mais violentas dores de cabeça aos pobres candidatos, que necessitam ver as suas credenciais autenticadas por uma Faculdade de Medicina local. Contudo, o processo tem-se vindo a simplificar e, hoje, já não é o labirinto impossível de sair que poderia ser há uns anos. Em 2011 o governo Brasileiro criou um processo unificado a nível nacional ao qual muitas instituições do ensino superior aderiram, o Revalida, que parece ser um modelo de autenticação mais justo e menos burocrático do que existia anteriormente – cada Faculdade possuía procedimentos próprios e enigmáticos, representantes de uma verdadeira barreira para os aspirantes a exercer Medicina no Brasil.

Apesar da equivalência a nível local do Diploma ainda ser um procedimento possível, foquemo-nos antes no Revalida, processo mais transversal, de fácil acesso pela internet e, certamente, com mais interesse para os leitores.

AFINAL, O QUE É O REVALIDA?

Falemos então do Revalida. O programa promovido pelo Governo Brasileiro consiste num dupla prova de avaliação teórica e prática. A primeira consta em dois exames escritos, um “objectivo”, de escolha múltipla, o outro “discursivo”, de respostas curtas e abertas, ambos realizados em várias cidades diferentes, no presente ano a 25 de Agosto. A segunda é uma prova de avaliação de habilidades clínicas que terá lugar a 19 e 20 de Outubro. Para aprovação é necessária a obtenção de 88 em 160 pontos. A inscrição no Revalida é toda feita online, sendo necessária apenas a digitalização do Diploma do MIM, e o pagamento é feito electronicamente (custo de 100 Reais, aproximadamente 32€) – duas vantagens inegáveis considerando que todo o processo pode ser resolvido à distância.

Segundo a fonte oficial, o Revalida “é um subsídio para a revalidação” e não condição única para a mesma. Antes cabe às Universidades aderentes, que reconhecem a sua legitimidade e relevância, procederem à autentificação do Diploma. Aprovado no Exame, o candidato terá então que encaminhar o seu processo para uma instituição de Ensino Superior à sua escolha. Acrescente-se ainda que o Revalida e os processos de revalidação directos nas Universidades não são mutualmente exclusivos: ambos podem ser procedidos em simultâneo e o insucesso num não implica igual resultado no outro.

Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro

Considerando tudo o que foi dito, quais são então as vantagens do Revalida face aos mais antigos processos locais de candidatura? Ora, o Revalida permite a autetificação do Diploma por várias Universidades em todo o país e não apenas a uma, as provas têm apresentado um nível de dificuldade razoável e constante, todo o processo pode ser realizado através do site oficial, onde, aliás, se encontra informação fidedigna e simples sobre todo o processo, bem como provas antigas e respectivas correcções. Adicionalmente, o Revalida tem um custo menor em relação aos concursos de muitas Universidades e coloquialmente é referido como sendo um processo menos burocrático e moroso.

ONTEM, HOJE… E AMANHÃ?

No que toca à facilitação do processo de equivalência do Diploma de Medicina, o futuro é incerto. Há muito se fala num aprofundar das relações intergovernamentais entre os governos portugueses e brasileiro de forma a simplificar a entrada de médicos portugueses no Brasil e semanalmente saem notícias sobre a necessidade de profissionais de saúde no último país; contudo adivinhar o amanhã é tarefa que temos todo o prazer de deixar para os astrólogos e por isso não estamos em condições de prometer uma boa-nova aos centenas de médicas em fila de espera para entrar em Terras de Vera Cruz. A verdade é que o Revalida entrou em vigor recentemente (2011), o que melhorou em muito as regras do jogo, pelo que se coloca a seguinte pergunta: estará o governo brasileiro preparado para nelas mexer novamente? E poderão as exigências do povo para uma reforma da saúde forçar a mudança? Ou, por outro lado, o abrandamento do crescimento económico levará a uma vaga isolacionista que encerrará ainda mais as portas aos médicos portugueses?

Uma coisa é certa: qualquer que seja o desfecho destas questões, o Brasil vai jogar o Mundial e virar das tripas coração para deixar a Taça em casa – até pode ser que Neymar faça esquecer Ronaldo – e no final a FRONTAL vai aqui estar para explicar ponto por ponto qualquer mudança; do acesso à Residência Médica, claro.

 

LINKS ÚTEIS:

Página de Orkut dedicada a Residência Médica: http://www.orkut.com/Main#Community?cmm=13407838&hl=pt-BR

Programa Revalda: http://revalida.inep.gov.br

Consulado do Brasil de Lisboa: http://www.consulado-brasil.pt/info_gerais.htm

Apesar de ao longo do artigo darmos enfoque ao Revalida em detrimento dos processos directos das universidades locais, tal não quer dizer que recomendamos o primeiro em relação aos segundos. Diversamente, relembramos o seguinte: ambos os caminhos podem ser percorridos em simultâneo, o que acaba por, logicamente, multiplicar as possibilidades da autentificação. A FRONTAL não opina, informa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here