Mini-Guia: França

No início do século XX, a França, e mais particularmente Paris, eram vistas como o epicentro da vida artística mundial. Pejada de uma multidão de aspirantes a mestre e uns quantos verdadeiros génios, viver na capital deste país devia ser um verdadeiro festim.

Flag France

Um século depois, para os que têm por desejo mais íntimo dedicar a sua existência ao altar da Arte, Paris poderá estar um bocado fora de moda; no entanto para os que desejam seguir a carreira médica, a história não é bem a mesma, pois esta cidade mais do que nunca parece ser o exemplo da excelência na medicina.

Pois bem, se sonhas numa vida regada a bom vinho, acompanhada com pão em forma de baguete e embalada ao som da chanson française, então não podes deixar escapar a oportunidade de ler este texto.

[hr]

Em França, o acesso ao internato médico é muito semelhante ao que existe no nosso país, sendo utilizado como critério único para a escolha de Hospital e Especialidade desejada o resultado de uma prova nacional – Épreuves Classantes Nationales (ECN) – que pode ser realizado por estudantes a frequentarem o último ano do segundo ciclo de estudos de medicina, ou seja o sexto ano.

O ECN dura três dias, realiza-se habitualmente em março, e consiste em quatro provas escritas, três das quais relacionadas com temas clínicos – com três casos clínicos cada – e uma que avalia as capacidades de interpretação de artigos científicos. Os temas abordados são variados, contemplando assuntos abordados nos últimos três anos do curso, como oncologia, hemostase, envelhecimento, entre outros. O exame é escrito, em língua francesa, e os critérios de correção obedecem a um princípio de “mot-clef/pas mis zero“, ou seja, existem conceitos fundamentais que devem ser incluídos obrigatoriamente e outros que não devem ser abordados sob o risco do corretor cortar na cotação. A inscrição é feita online, sendo possível descarregar a ficha de inscrição a partir do site do ministério da saúde francês. A documentação necessária – a enviar através de correio – consiste num certificado de matrícula emitido pela faculdade de origem que ateste a frequência do sexto ano ou cópia de diploma do MIM (ambos acompanhados por uma tradução autenticada) e numa cópia do Cartão de Cidadão ou Passaporte.

Hôpital Pitié-Salpêtrière
Hôpital Pitié-Salpêtrière

Após a realização do ECN e consequente publicação dos resultados, inicia-se o período de candidaturas às vagas do Internato, habitualmente em inícios de setembro. A candidatura é feita online.

Os cidadãos da União Europeia podem efectuar esta prova em igualdade de circunstâncias com os médicos recém-formados franceses e em caso de bom aproveitamento passam a poder exercer Medicina em França. Existe, porém, uma ressalva: a partir do momento em que o estudante conclui os estudos e recebe o diploma do MIM, fica interdito de realizar a mesma; nestes casos, existe a possibilidade de ingressar um concurso específico para médicos da União Europeia, no qual existem habitualmente poucas vagas (à volta de vinte) e onde é necessário apresentar 2-3 anos de experiência.

Hôpital Bichat-Claude-Bernard
Hôpital Bichat-Claude-Bernard

O Internato Médico em França é, segundo diversas informações, muito exigente e competitivo – bem como o seu acesso, aliás, existindo alunos que começam a sua preparação para os temidos ECN logo a partir do quarto ano – com carga horária pesada e uma remuneração contestada por alguns internos franceses. Tem uma duração de entre 3 a 5 anos, sendo possível a realização de uma de entre 11 especialidade ou DES (diplôme d’études spécialisées):

9 “gerais”: medicina geral, pediatria, ginecologia-obstetrícia, ginecologia médica, anestesiologia e reanimação, psiquiatria, medicina do trabalho, biologia médica e saúde pública

2 “específicas”: médicas (por exemplo, cardiologia, pneumologia, etc.) ou cirúrgicas (por exemplo, cirurgia geral, neurocirurgia, etc.)

É necessária a escolha de uma subespecialidade, a qual é feita nos primeiros dois anos de internato, existindo a possibilidade de troca da mesma durante este período, desde que a nota no ESC tenha permitido entrar na nova subespecialidade no ano de realização do exame.

[hr]

PRAZOS EM 2013:

(Indicativos de data em anos seguintes)

[list type=”arrow”][li]Inscrição no ECN: 1 a 31 de março.[/li]

[li]Realização do ECN: 28, 29 e 30 de maio.[/li]

[li]Anúncio dos Resultados: 3 de julho.[/li]

[li]Escolha de vagas: entre 2 e 20 de setembro.[/li][/list]

SITES ÚTEIS:

ECN e Candidatura ao Internato: Centre National de Gestion

Programa do ECN e exames antigo

Ministério da Saúde Francês

ANEM France

[hr]

Artigo anteriorNOVA Revoluciona a Terapêutica para o Cancro da Mama
Próximo artigoO Ténis, segundo Margarida Fernandes
O Luís Afonso nasceu em Coimbra, mas sempre sonhou ser de Mortágua. É estudante do 6º ano de Medicina, mas gostava era de ter um bar de praia em Copacabana e um canudo de Línguas Orientais na algibeira. Se o virem num concerto de Coldplay com ar aluado, provavelmente enganou-se no caminho ao sair de casa para comprar bolachas com chocolate, situação que, aliás, lhe acontece frequentemente. Quase ganhou o torneio de Trivial Pursuit da Queima das Fitas, só que errou a pergunta «Quantos dias sobrevivem os Glóbulos Vermelhos?». A partir daí a sua vida foi sempre a descer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here