Entre o Castelo e o Palácio

castelo + palacio
Não só de palestras e workshops se faz uma conferência. É nos eventos sociais que os participantes têm oportunidade de travar conhecimento com os oradores, trocando dois dedos de conversa entre boa comida e bom vinho. A iMed Conference 6.0 optou por visitar dois antigos refúgios da realeza de épocas diferentes – o Castelo de São Jorge e o Palácio da Tapada da Ajuda – de forma a que todos os convidados regressem a casa rendidos aos encantos de Lisboa.

Wine Tasting

Tudo perfeito!

IMG_8281

No final do primeiro grande dia de congresso, alguns corajosos dirigiram-se para o topo de uma das colinas de Lisboa, para um requintado wine tasting no Castelo de S. Jorge. Como primeiro evento do programa social, as responsabilidades eram muitas e as expectativas também, mas prometia não desiludir os presentes. O dia solarengo tinha-se transformado num final de tarde digno de ser registado. O ambiente era o ideal, com o Tejo e a ponte 25 de Abril no horizonte e o pôr-do-sol com uma vista privilegiada sobre a cidade. Como referiu IP, aluna da Nova Medical School, «O sítio não podia ter sido melhor.»

Lisboa tem-nos habituado a estes finais de tarde memoráveis e se para alguns, principalmente os que nela vivem ou estudam, continua a ser um espectáculo que nunca cansa os olhos, para os que vêm de fora, por vezes as palavras faltam para descrever tal beleza, dificuldade referida por alunas de medicina da Universidade de Zagreb, em Lisboa apenas para o congresso.

Durante umas horas, oradores e participantes de vários pontos do país e do estrangeiro estiveram misturados no mesmo ambiente, a ouvir atentamente os enólogos responsáveis por cada região e a provar várias iguarias que estavam a disposição. Difícil era escolher! O ambiente de diversão cativava todos, incluindo os enólogos presentes, que confessaram à FRONTAL não esperarem tanta gente jovem, ficando bastante agradados com o interesse demonstrado e com o feedback positivo que foram recebendo ao longo da tarde e início da noite.

O evento foi muito bem recebido pelos participantes, que, sem excepção, afirmaram que a ideia era inovadora e muito bem concretizada. Houve quem dissesse mesmo que «tinha aprendido a apreciar vinho», como no caso de JR, aluno da Faculdade de Medicina do Porto. AF da Universidade da Beira Interior foi mais além e disse que este era «o melhor programa social de sempre».

Para terminar em grande, fica a citação de A. Schally, Prémio Nobel de Medicina ou Fisiologia em 1977 e orador do congresso, num português pouco treinado mas esforçado: «Tudo perfeito, o vinho, a comida, o tempo!».

Jantar de Gala

Requinte no Palácio da Tapada da Ajuda

O jantar de gala, a encerrar o segundo grande dia de congresso, prometia elegância e diversão mas acabou por ser muito mais do que apenas isso: foi uma troca de experiências e opiniões sobre temas do congresso e do dia-a-dia, uma consolidação de novas amizades e criação de momentos que decerto ficarão na memória durante muitos anos.

O Palácio da Tapada da Ajuda mostrou ser um local maravilhosamente adequado para satisfazer as expectativas dos participantes. O edifício imponente que se observava do jardim reservava um espaço interior mais íntimo e «muito bem decorado», como referiu IC, aluna da Universidade de Medicina de Coimbra. A surpresa foi transversal, sendo variados os elogios à organização. «Não estava à espera que fosse tão bom», confessou GG, aluno da Nova Medical School, mostrando-se positivamente agradado com a eficiência e atenção aos pequenos detalhes por parte dos alunos da comissão organizadora.

A refeição decorreu tranquilamente, com um serviço sem falhas e comida gourmet à descrição, para deleite de alguns participantes mais esfomeados. Após uma sobremesa deliciosa, o cansaço ameaçava tomar controlo do evento, mas logo músicas dos anos 80  encheram o ar e pouco a pouco, os participantes entraram no ritmo e ocuparam a pista de dança. A noite continuou com o prometido DJ, que passou alguns dos maiores êxitos do momento (e não só!), fazendo a grande maioria dos participantes libertar o seu lado mais dançarino. Segundo RA, aluna da Faculdade de Medicina de Coimbra, «um evento perfeito», apenas com um senão a apontar: «É pena ter acabado tão cedo».