A Expressão Diz Tudo !

Apesar do grande desenvolvimento na área dos indicadores de saúde e  desenvolvimento fetal normal, a verdade é que pouco se sabe sobre o que realmente se passa in utero. Investigadores pensam ter descoberto uma forma de identificar atrasos ou alterações do desenvolvimento fetal normal, as expressões faciais do feto. Serão mesmo as  caretas feitas pelos fetos um “treino” para o que vão fazer cá fora ou será uma resposta àquilo que estão a sentir?

abstract20baby20in20wombJá é do conhecimento de muitos que os fetos in utero fazem caretas, dão cambalhotas, bebem líquido amniótico e chucham o dedo. Mas até agora não se sabia se havia uma função ou um objectivo para estas tarefas. Uma equipa de investigadores da Universidade de Durham, em Inglaterra, liderada por Nadja Reissland, realizou uma investigação nesse sentido. Foram estudados 15 fetos saudáveis, oito do sexo feminino e 7 do sexo masculino, do segundo ao terceiro semestre (das 24 às 36 semanas), com ecografia a quatro dimensões.

 As imagens captadas dos fetos mostraram que estes eram capazes de bocejar várias vezes ao dia, não por aborrecimento ou sono, mas como forma de desenvolvimento cerebral. Nadja Reissland revela que os bebés são capazes de mostrar uma expressão semelhante a um sorriso, franzir as sobrancelhas e enrugar o nariz mostrando uma cara de desconforto. Não se sabe ainda se de facto os bebés estão a expressar algo que estão a sentir, ou se se trata de um “treino” para comunicar cá fora. A pesquisa parece indicar que estes movimentos faciais estarão associados ao desenvolvimento e maturação cerebral, sendo uma componente importante neste processo.

4-d-scan-of-32-week-old-fetus-showingwebcreditDurham

Desde o inicio do trabalho, às 24 semanas de gestação, se começou a detectar expressões mais simples como um sorriso, e só mais tarde por volta das 36 semanas se começaram a notar expressões mais complexas como o franzir da testa e nariz, e uma expressão claramente de desconforto, como se estivessem a treinar para aquilo que vão fazer cá fora. A equipa afirma que é essencial que um bebé depois de nascer seja capaz de mostrar aos seus cuidadores aquilo que sente e do que é que esta a precisar, porque de outra forma não é possível sabê-lo.

O estudo mostra que através da análise das expressões é possível acompanhar o desenvolvimento do feto normal e eventualmente identificar precocemente alguns problemas que possam vir a surgir. Os investigadores pensam que [pullquote] no futuro a análise das expressões feitas pelo feto possa ser um dos indicadores de saúde e desenvolvimento fetal normal[/pullquote], visto que actualmente, e mesmo com os grandes avanços que esta área teve nos últimos anos, ainda há poucos indicadores fiáveis ou sinais de alarme para detectar precocemente atrasos ou anormalidades do desenvolvimento fetal. Para já a investigação continua, e nesta etapa os investigadores pretendem descobrir se as expressões dos fetos são de alguma forma afectadas ou atrasadas com a exposição a álcool ou tabaco consumido pelas mães.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here