Vacinação sem Injeção

Investigadores da King’s College London demonstraram que é possível a administração cutânea de vacinas atenuadas sem ser necessária a utilização de seringas. A equipa financiada pela Fundação Bill & Melinda Gates conseguiu provar que este método é potente o suficiente para permitir que células imunes especializadas na pele promovam uma resposta imunitária eficaz.

A equipa da King’s College utilizou um molde de silicone desenvolvido pela companhia norte-americana TheraJect para criar um pequeno disco com “micro-seringas” constituídas por um açúcar e que se dissolve depois de inserido na pele.

[pullquote align=”right”]Deste estudo poderá resultar no futuro uma solução para o problema mundial de vacinação[/pullquote]Através de técnicas de imagem conseguiram observar em ratinhos a forma pela qual a vacina se dissolve na pele. Foi também possível identificar pela primeira vez que é um grupo específico de células dendríticas especializadas da pele responsável pelo uptake deste tipo de vacina e por activar o sistema imune.

Quando comparado com o método tradicional, a resposta imune gerada por este novo método (preservado à temperatura ambiente) é equivalente à resposta induzida pela mesma dose de líquido injectado e preservado a uma temperatura de -80ºC.

vacinação sem injeção 2Deste estudo poderá resultar no futuro uma solução para o problema mundial de vacinação contra doenças como a malária, HIV e tuberculose, uma vez que poderá permitir a entrega de vacinas atenuadas a países de recursos limitados sem ser necessária refrigeração. Poderá também trazer outros benefícios como uma diminuição dos custos, dos riscos associados à contaminação por seringas e o facto de a administração ser indolor poderá aumentar a adesão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here