Mini-Guia: Estados Unidos da América

usflag2

Tal como no Reino Unido, nos Estados Unidos da América o processo de ingresso no Internato é complexo, com a agravante do MIM não ser automaticamente reconhecido neste país. O processo de certificação é da responsabilidade da Educational Comission for Foreign Medical Graduates (ECFMG) e pode ser iniciado antes da conclusão do MIM. Este organismo exige a todos os médicos ou futuros médicos estrangeiros a realização de um conjunto de provas intitulado United States Medical Licensing Examination (USMLE) que se divide em três etapas: Step 1, que aborda ciências básicas (Anatomia, Fisiologia, Bioquímica, entre outras) e é habitualmente feito pelos estudantes norte-americanos no final do 2º ano; Step 2, que avalia conhecimentos clínicos, tendo uma componente teórica (exame com oito grupos, cada um com 44 perguntas) e uma prática (exame com 12 doentes); e Step 3 que é realizado no fim do 1º ano de Internato. O ECFMG exige os Steps 1 e 2 para aprovar a equivalência do MIM, sendo que o primeiro pode ser realizado em Portugal e o segundo apenas nos Estados Unidos da América.

USAPosteriormente o candidato tem que escolher hospitais do seu agrado, existindo uma base de dados online para esse fim (www.ama-assn.org). Muitas instituições não aceitam candidaturas diretas, estando inseridos num sistema de seleção de candidatos intitulado de National Resident Matching Program (NRMP). Este organismo é responsável pela afeção dos candidatos ao internato aos diferentes hospitais-escola, realizando-se o processo da seguinte maneira: 1. Os candidatos elaboram uma lista dos hospitais do seu agrado e respetiva especialidade a que se candidatam; 2. Os hospitais elaboram uma lista dos candidatos que gostariam de contratar; 3. O sistema cruza os dados das duas listas e distribui os candidatos pelos diversos hospitais, anunciando os resultados todos os anos no mesmo dia, o match day. A partir da saída desta lista os candidatos são obrigados a aceitar o hospital que lhe foi indicado e vice-versa.

Com isto o longo processo chega ao fim e os médicos recém-formados iniciam a ansiada residency, uma etapa difícil e fatigante em que os horários de trabalho podem ir até às 80 horas semanais. Afinal ninguém disse que é fácil viver-se o Sonho Americano.

Artigo anteriorMini-Guia: Reino Unido
Próximo artigoEspecialidade: Partir ou Ficar?
O Luís Afonso nasceu em Coimbra, mas sempre sonhou ser de Mortágua. É estudante do 6º ano de Medicina, mas gostava era de ter um bar de praia em Copacabana e um canudo de Línguas Orientais na algibeira. Se o virem num concerto de Coldplay com ar aluado, provavelmente enganou-se no caminho ao sair de casa para comprar bolachas com chocolate, situação que, aliás, lhe acontece frequentemente. Quase ganhou o torneio de Trivial Pursuit da Queima das Fitas, só que errou a pergunta «Quantos dias sobrevivem os Glóbulos Vermelhos?». A partir daí a sua vida foi sempre a descer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here