Dispositivo de assistência ventricular: uma nova esperança?